Os segredos do GC digital no Mercado Livre

escrito por Vinicius Duarte 31 agosto, 2018

​com Danny Castellanos, Mercado Livre

O Mercado Livre é referência quando o assunto é vendas na internet. Para falar sobre o assunto, convidamos o executivo Sênior do Mercado Livre, Danny Castellanos, que compartilhou seu conhecimento e as práticas mais comuns para esse contexto no TradeCast #47. Ele é um dos palestrantes do AEx 2018 e, durante o webinar apresentado pelo CEO da Involves, André Krummenauer, demonstrou como o Gerenciamento por Categorias é desenvolvido no ambiente digital.

​MOMENTO DE COMPRA: ​AS DIFERENÇAS ENTRE ONLINE E OFFLINE

A principal missão do gerenciamento por categorias é facilitar e melhorar a experiência de compra do shopper. No online, onde a gôndola é infinita, o segredo está na busca. Danny explica que a navegação no e-commerce é um dos pontos de atenção para contribuir com a procura dos shoppers no ambiente digital. Outro ponto que contribui com as conversões são as recomendações de compra. 

"O grande negócio do e-commerce é a recomendação de compra. Quanto melhor você consegue entender o seu cliente, quanto mais informações você tem dele, e você consegue vai direcionar essa navegação, você consegue identificar o melhor produto para ele. A parte de GC, quando se fala do online, tem uma parte da plataforma. Toda a inteligência que tem por trás. São métricas, estudos, enfim, a informação que a gente tem e como consegue utilizar isso para influenciar na melhor compra para ele", explica Castellanos.

​A RELAÇÃO COM OS SELLERS 

A relação com os sellers (vendedores) é amparada em dados desde o primeiro contato. O Mercado Livre utiliza as métricas de vendas, visitas e conversão para mapear as oportunidades e direcionar os sellers para oferecer a melhor experiência para os seus clientes. As práticas são multiplicadas igualmente para todos os sellers, mesmo que esses sejam concorrentes. 

"No mercado Livre é difícil você procurar alguma coisa e não ter, porque são milhões de assuntos, mas a gente faz esse acompanhamento porque para nós ele tem que ter sempre o melhor sortimento. Sabemos como a ruptura é determinante para o sucesso do negócio, então a gente faz uma preparação para que isso não aconteça", indica o executivo.

​CONVERGÊNCIA PARA A MULTICANALIDADE

​A velha máxima de que online acabará com offline é um conceito ultrapassado, segundo Danny. Ele defende que a complementaridade entre os canais é muito mais forte que as teorias que apontam a morte de um canal. O Mercado Livre, inclusive, lançou uma funcionalidade que permite que o shopper retire os produtos comprados n​a plataforma na loja. Assim, a experiência de compra se estende para a loja física e o seller ​pode explorar mais oportunidades em seus canais de venda.

"​A gente já vê que o cliente é o mesmo. Já é realidade. Os millenials, principalmente, que fazem 65% das compras são online, ainda compram offline. O negócio é saber em qual momento da jornada de compra ​você consegue impactar".

0 comentários
0

Deixe seu comentário