Uma história sobre gostar de ser promotor de vendas

escrito por Última atualização: 27 fevereiro, 2019
Uma história sobre gostar de ser promotor de vendas

Manter-se apaixonado pela profissão promotor de vendas e estar engajado por uma marca, em muitas empresas, é um desafio. E o que você diria se tivesse que representar 17 marcas diferentes e de segmentos que não têm nenhuma relação entre si?

Marcos da Silva Rangel é um exemplo de quem tem que vencer esse desafio quase todos os dias. Dos 43 anos de idade, 22 foram dedicados à profissão promotor de vendas. Ele diz gostar do que faz e se sente feliz. Durante a semana, Marcos passa boa parte do seu dia na loja de uma das maiores redes de supermercado do Brasil.

PROFISSÃO PROMOTOR DE VENDAS

Ele presta serviço para uma agência, a Dinâmica Merchandising. A experiência anterior foi na Unilever, empresa que ofereceu a Marcos a oportunidade de se tornar supervisor da operação. Uma limitação de saúde, porém, não permitiu que aceitasse o cargo e crescesse na profissão.

profissão promotor de vendas

A síndrome do pânico o impede de dirigir. A habilidade era uma exigência para a vaga. Mesmo sabendo que poderia ter uma situação profissional diferente, ele sorri quando explica a rotina com brilho nos olhos: reposição, evitar ruptura, conquistar espaços extras de exposição e coletar informações no PDV são suas principais funções durante o trabalho.

Às segundas, quartas e sextas, os dias são mais cheios. São 16 marcas para executar. Às terças e quintas, são apenas sete. Ele divide o ponto de venda com outros colegas de equipe.

RELACIONAMENTO NO PONTO DE VENDA

Macarrão, papel higiênico, papel toalha, produtos de limpeza, cortes de frango, sucos. Até para pensar em fazer cross merchandising fica difícil com uma diversidade tão grande de produtos. “Por exemplo: se eu começo pela JBS, vou lá, abasteço as prateleiras, coloco os preços, tiro foto, preencho as pesquisas, acabo essa empresa e vou para outra”, conta Marcos.

Mas não é o número de empresas que aumenta o desafio. As metas de exposição são a principal dificuldade para a profissão promotor de vendas. Porém, mesmo que elas sejam pré-estabelecidas entre varejista e distribuidores ou indústrias, a pró-atividade e o bom relacionamento são sempre muito importantes durante a execução.

TECNOLOGIA NA PRÁTICA

Recentemente, a agência contratou uma plataforma para otimizar a operação. Marcos conta que isso fez toda a diferença, apesar de não poder contar com a plataforma para gerenciar algumas das marcas que representa quando está no PDV. Algumas ainda insistem nas pesquisas em prancheta.

Como Marcos é um promotor que trabalha em um regime compartilhado*, precisa dividir a rotina entre papéis no bolso e reportes rápidos no aplicativo. É a primeira vez que ele tem contato com uma tecnologia especializada em trade marketing:

Para encerrar a conversa em alto estilo, Marcos fez questão de mostrar a plataforma de pesquisa em detalhes para a nossa equipe. É assim que a profissão promotor de vendas age: na prática!


Deixe seu comentário