O consumo do varejo na América Latina segundo a Nielsen

escrito por Última atualização: 9 abril, 2019
O consumo do varejo na América Latina segundo a Nielsen

O varejo voltado para bens de consumo de alto giro vem passando por significativas mudanças atualmente. O surgimento de novos formatos e o fortalecimento de modelos menores são o principal destaque. Diante desse cenário, o trade marketing se mostra como uma prática fundamental para potencializar esse novo direcionamento.

Essa percepção veio de um lugar bem próximo à nossa empresa, a Involves. Uma padaria que fica a duas quadras daqui, onde a equipe geralmente almoça, oferece aos clientes tudo o que uma padaria deve oferecer… e um pouco mais: lá, você encontra artigos como shampoo, pasta de dentes, alvejantes, além de alimentos, vinhos, cervejas artesanais, enfim, uma variedade que passa por todas as categorias oferecidas em um supermercado. A diferença é um leque menor de opções de marcas e o preço um pouco mais alto que o de lojas de grande varejo.

Leia mais sobre esse assunto no post que resume a conversa que tivemos com a account manager da Nielsen Brasil, Aurélia Vicente.

UMA NOVA ONDA DE CONSUMO

Depois dessa observação, tive a comprovação de que não se tratava só de uma padaria que pensou diferente e oferece opções diversas à clientela. Foi durante uma visita ao escritório da Nielsen Colômbia que Florencia Rauzi, shopper solutions manager, contou-me sobre essa “nova onda” na América Latina.

A conveniência é quem dita as regras do mercado.

A partir disso, surgiu a ideia de um TradeCast sobre o tema. Foi a primeira edição internacional do webinar do Clube do Trade, que também selou uma parceria de sucesso, responsável por trazer ao Agile Experience - a maior experiência em trade marketing do Brasil - a participação da Nielsen LATAM, com palestrantes do Brasil e da Colômbia.

O mix de produtos também é um ponto relevante nessa questão. Recentemente, a Nielsen divulgou um estudo sobre o detalhamento dos produtos de grande consumo, ou de “consumo em massa”, que pode esclarecer muitos questionamentos sobre esse novo direcionamento do ponto de venda.

De acordo com informações divulgadas pela instituição, em toda a América Latina está em vigor um crescimento acelerado dos formatos pequenos como lojas de desconto e conveniência. No Brasil, por exemplo, os supermercados pequenos e as lojas de conveniência cresceram 6% em 2015, enquanto que no México o canal de proximidade atingiu um crescimento de 19%.

Durante o TradeCast, contemplamos os seguintes tópicos:

  • Contexto e números da América Latina que comprovam o crescimento do setor;
  • Sortimentos mais buscados em lojas de conveniência;
  • A influência dessa mudança na cadeia de valor da indústria e distribuidores;
  • O papel do trade marketing para acompanhar essa nova projeção;

Se você domina ou se arrisca no idioma espanhol, vale a pena assistir!

Florencia Rauzi

TRADECAST #17

com Florencia Rauzi

El fenómeno de las tiendas de conveniencia en toda LATAM

Deixe seu comentário