A precisão que economiza tempo no trade

escrito por Eduardo Silva Última atualização: 9 abril, 2019
A precisão que economiza tempo no trade

Você já parou para pensar que o momento mais importante e decisivo de uma prova de Fórmula 1 é, ironicamente, quando o carro fica parado?

Sim, vamos falar do pit-stop, quando chega a hora de trocar os pneus, realizar pequenos reparos e reabastecer o combustível.

Tudo deve ser minimamente calculado e sincronizado entre a equipe no pit-stop. Não é em vão que cada movimento é ensaiado exaustivamente até o momento da corrida.

Assim também é, ou deveria ser, no trade marketing: ter uma equipe focada, sincronizada e com a coleta de informações no mesmo nível de precisão dos mecânicos da Fórmula 1.

O PIONEIRISMO E A LIDERANÇA

Além do fator tempo, existem as mudanças estratégicas. A adaptabilidade fala mais alto no trade, as campanhas devem se reinventar e buscar novos caminhos com o passar dos anos para sobreviver.

Vamos voltar o pensamento ao circuito de Fórmula 1 para ficar mais fácil o entendimento:

No início, o pit-stop servia somente para a troca de pneus, mas foi em 1982, durante o GP da Áustria, que a equipe Brabham inovou ao iniciar a prova com apenas meio tanque dos carros de Nelson Piquet (foto abaixo) e Ricardo Patrese.

Moral da história: com peso menor, os pilotos economizaram cerca de um segundo por volta com seus carros, fazendo com que o desgaste dos pneus também fosse menor.

Não é preciso dizer que todos as outras escuderias copiaram a estratégia da pioneira Brabham. O fator precisão tem sido cada vez mais decisivo nas corridas desde então.

A INOVAÇÃO COMO FATOR DE DECISÃO NO TRADE

Inovar é seguir pelo caminho evolutivo. Não é ser melhor nem pior, é ser efetivo conforme o fluxo - nesse caso: o shopper. Quem pretende continuar vivo no trade deve pensar diferente, deve se adaptar às mudanças. É por isso que hoje em dia ninguém consegue tirar uma fotografia de um mamute utilizando um filme Kodak.

Fica uma importante lição: até os grandes tombam. Não importa o tamanho da companhia, o importante é a sua adaptabilidade para acompanhar mudanças (como as novas tecnologias).

Lembra da toda-poderosa escuderia Brabham citada anteriormente no texto? Ela não existe mais.

Nunca pare de inovar.
Elon Musk
TESLA/SPACEX

PARALELOS DO PIT-STOP DA F1 E O TRADE MARKETING

TEMPO

  • FORMULA 1
    Mecânicos trabalham de modo cooperado para trocar pneus, realizar reparos e reabastecer o combustível no menor tempo possível.
  • TRADE MARKETING
    Promotores atuam de forma a evitar rupturas e conquistar pontos extras para uma boa execução.

GERENCIAMENTO DE EQUIPE

  • FORMULA 1
    Engenheiros trabalham estrategicamente a fim de coordenar a equipe ao pit-stop perfeito.
  • TRADE MARKETING
    Líderes atuam de forma planejada coordenando suas equipes para o sucesso do trade.

MAPEAMENTO

  • FORMULA 1
    As equipes trabalham com sigilo total e buscam inovar no processo com roteiros ensaiados e ações mapeadas por cada mecânico. É como um balé, todos têm que saber previamente a movimentação de cada membro da equipe para um sincronismo perfeito.
  • TRADE MARKETING
    Cada passo deve ser mapeado com o intuito de otimizar o processo e garantir a precisão ideal para a execução perfeita. Assista este vídeo sobre roteirização e descubra como economizar um tempo precioso.

TECNOLOGIA

  • FORMULA 1
    Com a ajuda de soluções como O KERS (Sistema de Recuperação de Energia Cinética) os carros podem economizar energia, aumentar a velocidade e diminuir o nível de poluição gerado pelos automóveis.
  • TRADE MARKETING
    Acesse este eBook e descubra como organizar o roteiro de visitas respeitando o tempo de trabalho em cada PDV por meio de tecnologias geolocalizadoras.

E você, consegue imaginar mais algum paralelo entre o pit-stop da Fórmula 1 e o trade marketing? Deixe a sua mensagem aqui embaixo nos comentários, um abraço!

0 comentários
1

Deixe seu comentário